Monday, 24 September 2012

Laxmanrao Sardessai - A Velhice e a Poesia (1965)


Dizem que sou velho,
Mas faço, aqui, poesia!
E que fiz durante toda a vida?
Fiz prosa e levei vida prosaica!
Experimentei o mundo,
Vi os bons e os maus,
Observei a natureza,
Os ricos e os pobres,
Os velhos e os novos,
Acumulei tudo, digeri tudo!
E, como um montanhês,
Fui rude e forte
Mas insensível às delicadezas da vida,
Porque o espírito se deleitava
Em ver da vida as rudezas
E, também, os contrastes chocantes
E os seus acidentes e os contornos.
Agora sou velho, como dizem,
E eu acredito,
Vejo nos meus olhos do meu netinho
O tesouro dos céus
E no seu sorriso
O tesouro da terra!
Ele, o meu netinho
Observa, encantado,
O céu, o sol, a lua,
As aves e as árvores,
Os cães e os gatos,
Olha-os, enfeitiçado,
E se ri e se move,
E agita as mãos
E, de olhos radiantes,
Pronuncia uma sílaba
E faz poesia!
Ensinou-me, pois, o meu netinho
A ver e sentir a poesia do Universo!

No comments:

Post a comment