Monday, 18 March 2013

Augusto do Rosário Rodrigues - Goa Doirada (1980)

Goa! Rua Direita – um mar de gente!
Cheiro a cravo e canela, e erva cheirosa;
Fidalgos, chatins, frades; de repente
Quedam vendo uma jau passar dengosa.

Casal nobre: o marido sempre ausente
Por amor duma naire mui ciosa;
A mulher um Romeu adolescente
Recebe, de saiote cor de rosa.

Há roncos lá no Cais da Ribeira;
Elefantes d’el rei puxam madeira.
Reinol já pobre implora um xerafim.

Luís Vaz de Camões e seus amigos
Portugueses de fibra, dos antigos,
Vendo isso exclamam: Goa! Eis o teu fim...

No comments:

Post a comment