Monday, 2 April 2012

Clara de Menezes - Escravo (n.d.)


Arou a terra ingrata p’ra o sustento
Inventando instrumentos com destreza,
Construiu fortalezas p’ra a defesa,
Dominou o impetuoso e ágil vento.

Fez-se no saber um grande portento,
Aprendeu a explorar o ar com presteza
E a singrar o mar com ligeireza,
Embora num progresso árduo e lento.

Ao Rei da Natureza não há segredo,
Nas terríveis batalhas não tem medo,
Nas Ciências, Letras e Artes teve sorte.

Procurou prolongar a sua vida,
Sustentando uma luta hábil, renhida,
Mas nunca logrará fugir à Morte.

No comments:

Post a comment