Monday, 2 April 2012

Cyrano Valles - Requiem (n.d.)

Sou
O funeral
D’um pobre Homem
A quem nunca
Quiseram bem…

Sinos dolentes
Dobrai!
Violinhos plangentes
Dobrei!
Um requiem
Por este Homem de Bem
Que no Mundo
Criou espanto
Mas por quem
Ao morrer,
Ninguém verteu pranto,
Salvo sua Mãe,
Seu irmão
E um... ladrão!

Sinos agonizantes...
Violinos soluçantes...
É o Requiem
Do Homem de bem
A quem jamais quiseram bem!

No comments:

Post a comment