Monday, 7 November 2011

Leonor Rangel-Ribeiro - Como a Vida é Bela (1966)

Poeta
- de todos os climas –
Branco, castanho, amarelo
Ou negro como a noite sem estrela!
Sou tua irmã.
Vem, põe-te à janela
Do Universo!
Escuta, como a Vida é bela,
Toda ela feita d’harmonias,
De contrastes:
À Mentira ressalta a Verdade,
À Dor o Amor,
Em vertiginosa melodia,
A caminho da Eternidade.

No comments:

Post a comment