Monday, 7 November 2011

Nascimento Mendonça - Cântico em Louvor da Monção (1966)

O vento vai pelo palmar passando
Com voz de mando e o seu clarim de guerra,
Dobram-se os robles e sorriem sonhando
Que os rios do céu jorram sobre a terra.

O lodo é como pedra faiscando
E lume e lava todo o areal encerra...
Ah! Vento de monção, vai clangorando,
Vai ululando pelo mar e a serra.

Dir-se ia que és a voz de uma desgraça,
Ara do mal que sobre o mundo esvoaça,
Voz de Tigre que os berços sobressalta.

E contudo, meu Deus! É a tua fala
Que na leiva e árida a semente embala,
No pó hostil a vida imensa exalta.

No comments:

Post a comment