Thursday, 31 January 2013

Visnum Porobo Sincró - O Remanso (1972)

Mourejando pelo mundo sem destino,
Esfalfado voltei para o meu lar;
Achei-o mui desfigurado, em ruínas...
Tu estavas ainda à minha espera, já alquebrada;
Deus existe!!! Porque deixou-te sã ainda.
Juro que nunca te deixarei sozinha.
Pois em tua companhia amiga medrarei viçoso
Tenho fé n’Ele; é assim que redimirei
Todos os erros meus e faltas praticadas,
Que desejo reaver a confiança tua,
Sinto imenso ter-te feito padecer,
Por tão longos anos; sempre fitos os olhos
Esperançados de que eu havia de voltar!
Para passar o resto da vida no remanso.

No comments:

Post a comment