Tuesday, 21 May 2013

Clara de Menezes - Mote (1952)

Sendo nada, eu dei-te tudo
E tu só me deste nada

Hipólito de Menezes Rodrigues

Fui um grão de areia, diluído
Nos teus olhos de veludo,
Nesse instante bem vivido,
Tendo nada, eu dei-te tudo.

Deste amor, fornalha a arder,
Dei-te a essência concentrada;
Dei-te a minha alma, o meu ser
E tu só me deste nada.

No comments:

Post a comment