Wednesday, 22 August 2012

Luís Furtado - Do Monte de Margão (1979)

Sentando num banco da encosta
Do monte da cidade de Margão
Admiro a linda vista que desfruta,
E que consola a minha solidão.

É digna dum pincel de artista,
A linda paisagem que desenrola,
Vista dos degraus da ermida
Dedicada de Piedade, à Nossa Senhora.

Lindas edifícios dessa Antenas Goesa,
E o comboio que qual serpente chega,
Verdes arrozais a perder da vista,
Selam no meu espírito a sua magia.

Se pudesse ficar aqui ficaria,
Como gostariam os discípulos em Tabor,
Admirando esse conjunto de simfonia
Que é um bálsamo a minha dor.

No comments:

Post a comment