Tuesday, 29 March 2011

Laxmanrao Sardessai - Zalach Pahije (1965)

Se Deus é do mundo o pai,
Desta terra o é Nath Pai
Porque nos ensinou a pronunciar
“Zalach Pahije”!

Deus, antes da criação,
Pronunciou “Fiat Lux”
Mas, após a eleição,
Vassantrao Naik
“Zalach Pahije”!

Deus guia o Universo inteiro
Para a salvação
E Esvantrao Chavan
Esta mimosa terra
Para a perdição
Com o seu mantra
“Zalach Pahije”!

Sou um ignorante
Mas, em vez de instrução,
Sempre me impingem
“Zalach Pahije”!

Sou um indigente
E persegue-me a fome.
Mas dão-me, volta e meia,
“Zalach Pahije”!

Sou um enfermo
E sofro de malaria,
Mas ministram-me,
Dia e noite doses
de “Zalach Pahije”!

Sou um manducar
E para ser batcar –
Dizem – devo rezar
“Zalach Pahije”!

Sou um eleitor
E prometem-me
O paraíso inteiro
Contanto que diga
Sem cessar,
“Zalach Pahije”!

Sou um mestre-escola
Mas forçado – sina minha! –
A ensinar
A crianças inocentes
“Zalach Pahije”!

Na nossa aldeia
Quem não tem ocupação
E nos negócios alheios
Mete o seu bedelho,
É conhecido como
“Zalach Pahije”!

Aparece nos templos
E nas escolas e nos bazares,
A ódiosa coruja
De “Zalach Pahije”!

À maneira de fantasma
Que persegue a sua vítima,
Persegue em toda a parte
O goês inocente
O fantasma
De “Zalach Pahije”!

Tem entrada
Em todos os círculos
Quem possiu
O santo e senha
De “Zalach Pahije”!

Suga o sangue
do pacato cidadão
A sanguessuga nojenta
De “Zalach Pahije”!

Do coração soturno
Do falido “M.G.”
Sai o ronco mugido
De “Zalach Pahije”!

O álcool de alto grau
Faz ao embriagado
Vomitar bílis
Contra quem quer.
Assim tem sido
O “Zalach Pahije”!

Desvirtua e desonra,
Abandalha e corrompe
O slogan assolador
De “Zalach Pahije”!

Conflitos na família,
Conflitos na sociedade,
Conflitos com os amigos,
Conflitos com os vizinhos,
A raiz de todos eles
Está no “Zalach Pahije”!

O fantasma hediondo
Que profana a dignidade,
Vilipendia o amor,
Cospe no passado
E adultera o futuro
É “Zalach Pahije”!

Se, ó goês, queres
Viver em paz e harmonia
Repele quanto antes
A ignominia fatal
De “Zalach Pahije”!

Levanta-te e trabalha
E não está longe o dia
Em que volte
Para a terra de origem
A peste maldita
De “Zalach Pahije”.

No comments:

Post a comment