Friday, 18 February 2011

Benedito Dias - Coimbra (1981)

Dedico este ramalhete de versos
Como um tesouro de recordação
Duma terra que me serviu de berço
E trago-o sempre no meu coração

Dou-me feliz por ainda estar vivo
Que seria injusto da minha parte
Se não vos falasse como é devido
Dessa ‘LUSA-ATENAS”! A UNIVERSIDADE

Cantaram-na escritores e poetas
E no estrangeiro tem grande fama,
Eu nasci na Índia – terra d’ascetas
Descoberta pelo Vasco da Gama!

Oh COIMBRA! Tu és como Criança,
Também é Juventude e Mocidade,
Adolescência, Velhice e Cidade
Acolhendo poetas na Eternidade!

No comments:

Post a comment