Thursday, 17 February 2011

Clara de Menezes - A Diva do Concão (1965)

Sempre airosa e gentil, a bailadeira
Com o seu nôt de aljôfares nacarados,
Que encima os lábios, dois rubis rosados,
Tem encantos e olhar de feiticeira

Baila e canta nos templos desta beira
Do Índico com requebros e trinados.
Para louvar Ramá com seus bailados
Traja pitambor grácil e ligeira.

Argentinas pãiznam ao famoso astro
Beijam-lhe o tornozelo de alabastro
Com paixão, singeleza, bizarria...

Do lodaçal, qual lótus, foi cativa.
Uma bela alma dá a essa diva,
Num gesto nobre, a carta de alforria.

No comments:

Post a comment