Saturday, 18 June 2011

Cyrano Valles - Não eras assim… (1966)

Tu não eras assim,
Polida e triste,
Qual rosa esmaecida.
Brotava em ti
Uma alegria sem fim,
Mas agora - quem diria? –
Teus olhos claros
Com o riso das estrelas,
Amorteceram
E, fitos no sol poente,
Contemplam
Não sei que visão demente.

Quem tumbou
O teu sonho alado?
Quem magoou
Teu coração enamorado?

Chora.
Deixa correr as lágrimas.
O pranto é um bálsamo
Para todas as mágoas;
É a redenção dos infelizes,
Feridos pelo áspero destino.

No comments:

Post a comment