Friday, 3 June 2011

Visnum Porobo Sincró - Abolém (1962)

Entre a várzea lamacenta de água a escrever
Saltita pressurosa a meiga e ágil abolém
Filha de humildes agricultores, frágil ser
Pronta a socorrer os pobres pais alem

Com uma rosa em botão ainda em embrião
Qual borboleta no seu voltejar inebriante
A época chuvosa começou para duplicação
Da azáfama agrícola e a abolém ofegante

A saltitar como uma gazela, aqui e acolá
Prende o olhar dos transeuntes, atrai a si
Para a contemplar de relance a meiga criatura
Absorta nos seus trabalhos de agricultura

No comments:

Post a comment