Saturday, 4 June 2011

Laxmanrao Sardessai - Dia de Independência (1965)

Dia da Independência
Da liberdade e Emancipação
Mas o dia em que eu vejo
A liberdade violada dos Goeses!
Dia em que se dissiparam
Nuvens procelosas do jugo britânico
Mas vejo nesse dia
Desencadear-se sobre nós
Nova tempestade
Com todos os horrores
Que aniquilam a criação
Dia que é a imagem do caos
Em que o capricho reina soberano
Destruindo todos os valores humanos
A situação medra
Criando terror na população
Uivam os lobos
Proclamando destruição
Entram nos povoados
Roubando e matando
A liberdade que acorda o ser humano
Que iguala o rico e o pobre
Que paz e harmonia estabelece
No seio da sociedade
Liberdade que alarga a visão
E enobrece o coração
Que dissipa falsas noções
Da grandeza e nobreza
Liberdade que eleva
A dignidade do cidadão
Não a vejo neste dia
Vejo só a liberdade
Que instiga o fanatismo
E mais a cobra do comunalismo
Liberdade que destrói
Cruelments as instituições comunais
Baseadas nos ideais democráticos
Liberade que corta
A expansão moral
E que condena a língua mãe
De inocentes crianças
E consagra língua estranha
E as obriga a subir
Os degraus de educação
Por esse veiculo insano
Liberdade que ensina
A execrar o passado
E o presente da terra
Em que se nasce
Liberdade que cria
Nos filhos da terra
Complexos nocivos
Para a sua individualidade
Que nos ensina a ser
Falsos e hipócritas
Traidores e mentirosos
Liberdade que é a negação
Do real conteúdo
E significado da liberdade

No comments:

Post a Comment

Post a Comment